Sobreviventes contam como foram resgatados por equipes de socorro

A maior tragédia do país já provocou mais de 600 mortes. As cidades com maior número de vítimas são Nova Friburgo e Teresópolis.

Primeiro deu para ver a cabeça de um homem. Cavando, as equipes de resgate conseguiram desenterrar Marcelo Fonseca, que sobreviveu após 16 horas debaixo da terra.

Tudo foi filmado pelo blogueiro Luciano Zimbrão. Ele mostra o local do desabamento. Na hora não sabia que a vítima era um amigo. “Ele vai nos aniversários do meu filho de cinco anos”, conta.

O resgate mobilizou equipes de socorro, amigos e gente que nem conhecia a vítima. “A sensação de salvar uma vida é de ser pai, se não mais. Quando meu filho nasceu creio que eu fiquei tão feliz, porque ele nasceu de novo”, afirma.

Marcelo foi posto na maca sob aplausos, agora se recupera no hospital.

Com o filho no colo, Welington também respira aliviado. Nicolas completou sete de meses de vida ontem. Ele e o pai ficaram soterrados por quinze horas e enfrentaram dois desabamentos. “Dou graças a deus de ter perdido a noção do tempo. Tenho certeza de que foi Deus ali”, diz

As imagens do resgate emocionaram o país. Na madrugada em que o temporal castigou a serra, Wellington dormia na casa da sogra com a mulher e o filho. Todos estavam no mesmo quarto.

“Os bombeiros estavam com a máquina em cima. Então, eu percebi que eles estavam cavando com vontade, achando que não tinha ninguém. Ninguém dizia que tinha alguém vivo ali. Eles perguntaram: ‘tem alguém?’. Eu disse: ‘estou eu e meu filho’. Eles disseram: ‘vocês estão bem?’. Eu disse que estávamos. Eles perguntaram: ‘tem mais alguém?’. Eu disse: ‘tem, minha esposa e minha sogra, mas elas estão mortas”, relata.

“Eles conseguiram abrir um buraco, me deram água. Então eu botava a água na boca e dava na boca dele. Naquele primeiro contato que ele viu que era água, ele agarrava no meu rosto e abria a boca pra pedir, então com a língua eu controlava a água que ele bebia”, conta.

Juntos, esperaram pelo salvamento. “Ele ficava quietinho no meu colo. Quando eu dei ele, ele saiu rindo. Dentro da ambulância, ele estava conversando”.

 

Fonte: Site do Jornal Hoje

 

Anúncios