“Outrossim, o reino dos céus é semelhante ao homem,
negociante, que busca boas pérolas; E, encontrando uma
pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha, e
comprou-a” (Mateus 13:45, 46).

Gibbon contou que uma bolsa brilhante de couro, cheia de
pérolas, caiu nas mãos de um soldado raso quando Galerius
saqueou o acampamento persa. O soldado jogou todo o conteúdo
fora e guardou a bolsa com cuidado. Homens igualmente tolos,
como aquele soldado, passam pela vida. Eles não conseguem
perceber a verdadeira riqueza quando a encontram. (Walter
Baxendale)

Que semelhança existe entre nós e aquele soldado? O que mais
nos importa, o verdadeiro tesouro, que nos conforta, nos
edifica, nos transforma e nos garante um futuro de plena
felicidade ou apenas uma coisa brilhante e inútil, que para
nada serve a não ser, um dia, ser jogada fora?

Muitas vezes nos deixamos influenciar pela primeira
impressão — por uma aparência agradável e tentadora,
achando que é o melhor para nós naquele momento. Mas, e
depois “daquele momento”? Que representará para nós? Que
frutos nos trará? Que bênção produzirá para a nossa alegria
ou para a vida eterna?

Não podemos nos deixar seduzir por coisas brilhantes. O
mundo está cheio desses brilhos, inúteis, enganosos,
traiçoeiros. Eles podem nos dar prazeres por algum tempo,
mas logo o brilho se apaga e nos vemos perdidos e sem rumo.
Melhor é buscar o nosso Senhor Jesus Cristo, nosso Salvador.
Ele é o maior tesouro que alguém pode ter. Quem o possui,
tem a felicidade e a vida eterna.

O Senhor é o nosso tesouro — melhor do que todas as coisas
brilhantes do mundo. Ele é o nosso tesouro e nós somos o
tesouro dEle. Somos a Sua pérola de bom preço. Ele nos
comprou, com Seu sangue na cruz. Ele nos guarda, com muito
carinho, com muito amor.

Escuro Iluminado

Anúncios